Depois de anos de ensaio, o Ford Mustang finalmente foi lançado oficialmente no mercado brasileiro. Se, por um lado, esperamos muito tempo pelo modelo, por outro, ele chega praticamente junto com o lançamento da reestilização de sua sexta geração. De acordo com o fabricante, trata-se do melhor Mustang de todos os tempos, reunindo o desempenho que o transformou em um verdadeiro ícone com o conforto de um automóvel de luxo. O modelo chega na versão vitaminada GT Premium + Performance Pack, com preço sugerido de R$ 299.900.

Para se ter ideia da sua popularidade, o Mustang já participou de mais de 3 mil filmes e séries. Mais de 10 milhões de unidades do modelo foram vendidas mundo afora desde seu lançamento, em 1964. No Brasil, mais de 1.600 unidades, de diferentes gerações, foram importadas de forma independente.

Por enquanto, o Mustang vem para o Brasil apenas com carroceria fastback (existe uma conversível), com design inspirado no modelo original. Elementos como o capô alongado, a coluna A bastante recuada em relação à caixa de roda dianteira, teto arqueado, emblema GT no painel traseiro (alusão ao antigo bocal de abastecimento), lanternas formadas por três elementos, além de vincos pronunciados, trazem um pouco das linhas que foram definidas como muscle cars.

Devido às dimensões compactas do veículo (4,5 metros, pouco para os padrões americanos) e ao nome da raça de cavalos selvagens, o Mustang ganhou uma denominação ainda mais específica: ponny car. Atualmente, o modelo tem 4,79m de comprimento, 1,91m de largura, 1,38m de altura e 2,72m de entre-eixos. Ao longo dos anos, o esportivo ganhou equipamentos e agora pesa 1.783kg. A boa notícia é que a distribuição dessa massa foi muito bem-feita, 55% no eixo dianteiro e 45% no traseiro, contribuindo para a boa performance nas curvas.

O motor é um V8 de 5.0 litros, com sistema de injeção direta e indireta de combustível, além de duplo comando variável de válvulas, que melhoram a performance e reduzem o consumo de combustível. Com o apelido de Coyote, o propulsor tem 466cv de potência e 56,7kgfm de torque. A transmissão é composta por câmbio automático de 10 marchas e tração nas rodas traseiras. Trocas manuais podem ser feitas por aletas próximas ao volante. O muscle car acelera até os 100km/h em 4,3 segundos e a velocidade máxima foi eletronicamente limitada a 250km/h. Para quem gosta de queimar os pneus no asfalto, o Mustang tem a função line lock, para o pré-aquecimento dos pneus traseiros.

De acordo com a necessidade, o motorista pode escolher entre vários temperamentos – normal, esportivo, esportivo , pista, drag, neve/molhado ou pessoal –, para ajustar parâmetros de troca de marchas, acelerador, freios, controles de tração e estabilidade, suspensão, direção e escapamento. Para parar esta máquina, o pacote de performance traz freios esportivos de alta performance. As suspensões, McPherson na dianteira e multi-link na traseira, têm sistema adaptativo, que efetua a leitura da superfície e muda os parâmetros a todo instante, podendo tanto privilegiar o conforto quanto a estabilidade. O som produzido pelas duas saídas duplas de escape pode ser variado de um estonteante modo pista até o discreto perfil silencioso (para não acordar a vizinhança).

DENTRO 

O interior traz materiais refinados, como metal e couro, presente nos bancos, painel e portas. Os bancos dianteiros têm ajustes elétricos, aquecimento e refrigeração. Mero detalhe num esportivo, o banco traseiro tem espaço bastante restrito. O painel de instrumento digital traz uma tela configurável de 12 polegadas. O painel central conta com botões inspirados no universo da aviação. A única coisa que destoa da roupagem refinada do Mustang é a alavanca do freio de estacionamento, que poderia ser por botão, mas ainda assim combina com sua proposta esportiva. O Sync 3 tem navegação e sistema de som com 12 alto-falantes e 390W de potência.

Um dos destaques desta geração do Mustang são as funções semiautônomas, como o controle de velocidade adaptativo, sistema de permanência em faixa, alerta de colisão com assistente de frenagem, assistente de frenagem de emergência, farol alto automático, assistente de partida em rampa e assistente de detecção de pedestres. Entre o conteúdo, faróis full LED, rodas de 19 polegadas, acesso e partida sem chave, oito airbags, controles de tração e estabilidade.

DIRIGINDO 

Ao dar a partida no Mustang, o ronco grave do motor, produzido pelo escapamento projetado para enfatizar o som do motor V8, é um convite para acelerar fundo. Começamos a experiência a bordo do Mustang em um circuito rodoviário. Apesar da força bruta do motor, com 82% do torque disponível aos 2.000rpm, surpreende como esse bólido se comporta. No modo normal, a potência é fornecida gradualmente, sem susto, a suspensão é gentil e a direção leve. Em um trecho com engarrafamento, foi o baixo consumo de combustível que chamou a atenção. Afinal, 6km/l está muito bom para um motor com essa dimensão. Para fechar com chave de ouro, foi na pista que nos despedimos desse ícone, onde foi possível explorar seu lado mais selvagem e todo o potencial de acelerar e fazer curvas.

VIA: VRUM.COM.BR

Compartilhe:

Fotos:

FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ FORD LANÇA NO BRASIL O MUSCLE CAR MUSTANG, QUE CHEGA MODERNIZADO, MAS COM UM TOQUE RETRÔ