Os carros elétricos são o futuro inevitável, mas no Brasil a tecnologia ainda engatinha e o único modelo atualmente vendido aqui sem propulsão a combustão interna é o i3, da BMW. Mas não é apenas esse tipo de veículo que tem bateria - automóveis convencionais também trazem o componente, responsável por acumular energia para abastecer todos os sistemas elétricos, incluindo faróis, lanternas e a ignição do motor - ou seja, bateria "arriada" vai te deixar a pé e, literalmente, no escuro.

A fornecedora de autopeças Nakata informa que a bateria de 12 Volts dos carros convencionais é selada e não requer manutenção como as mais antigas, mas isso não significa que você não deve ter cuidados para prolongar sua vida útil. A empresa informa, ainda, que componentes de qualidade mediana têm duração aproximada de dois anos e meio, enquanto itens construídos com materiais mais nobres (e mais caros) podem resistir em boas condições de uso entre quatro e cinco anos. Mas isso depende dos cuidados do motorista com a bateria.

VEJA DICAS PARA ELA DURAR MAIS:

1 - Bateria compatível com os equipamentos

Escolha uma bateria de boa qualidade com amperagem compatível com os equipamentos elétricos do veículo. Carros "pelados", sem ar-condicionado, vidros e travas elétricos e assistência na direção vão pedir um componente de menor capacidade. Por outro lado, carros com som potente e muita eletrônica embarcada, por exemplo, vão exigir um componente mais parrudo. Isso serve para não sobrecarregar a peça. O mesmo vale para pessoas que modificam as especificações originais do veículo: antes de mexer em qualquer componente, verifique se o alternador, responsável por carregar a bateria, e a própria bateria são adequados à demanda extra de energia. É possível você ter de trocar os dois componentes antes de instalar os acessórios

2 - Cuidados ao dar a partida no motor

A bateria é mais exigida justamente na hora de dar a partida no motor. Nesse momento, desative equipamentos elétricos desnecessários para não sobrecarregá-la: evite girar a chave com faróis e outras luzes acesos e também desligue itens como som, ar-condicionado e central multimídia.

3 - Atenção ao sair do carro

Muitos já ficaram com a bateria descarregada por descuidos como deixar o veículo estacionado com os faróis e/ou equipamento de som ligados. Carros mais modernos desligam os faróis ao desligar o veículo ou emitem um alerta sonoro para não dar esse vacilo. Fique atento

4 - Proteja os terminais da bateria

Muitas baterias já vêm de fábrica com capinhas para proteger os terminais negativo e positivo para evitar contato com objetos metálicos ou condutores, o que pode gerar fuga de carga, faíscas e até curto-circuito, com risco de incêndio. Essas capas também podem ser adquiridas separadamente no mercado. Também mantenha os terminais limpos - com o tempo, eles acumulam resíduos, geralmente com aparência branca, resultantes da oxidação do material dos conectores. Essa oxidação prejudica o fluxo de carga e pode ser corrigida com a aplicação de uma mistura de água com bicarbonato de sódio, aplicada na área comprometida. Faça isso sempre com o carro desligado e remova a espuma resultante, em seguida secando bem o local

5 - Não deixe o motor desligado por longos períodos

Como outros componentes do carro, a bateria foi feita para funcionar regularmente - deixar o motor desligado por longos períodos promove a descarga da bateria, que fornece eletricidade aos sistemas eletrônicos do veículo mesmo com ele estacionado e fechado. A Nakata recomenda ligar o carro pelo menos uma vez por semana por cinco minutos, a fim de acionar o alternador e recarregar a bateria

6 - Cuide bem do alternador

Responsável por manter a carga da bateria a partir do movimento do motor a combustão, além de abastecer os sistemas elétricos e eletrônicos, o alternador precisa estar em perfeitas condições de funcionamento - se ele pifar, você nem consegue ligar o motor. Por isso mesmo, nas revisões do veículo certifique-se que o mecânico faça a manutenção preventiva do alternador, de preferência a cada seis meses

7 - Terminais desconectados

Se você deixar o carro parado por longo tempo e não tiver alguém para ligá-lo com regularidade, o ideal é desconectar os terminais da bateria para prevenir sua descarga. Remova pelo menos o terminal positivo a fim de preservá-la nesse cenário. Ao reconectar a bateria, recomenda a Nakata, coloque primeiro o cabo no terminal negativo

8 - Não conecte outros dispositivos nos terminais

Evite conectar lâmpadas e outros dispositivos que consumam carga nos terminais da bateria. Se for necessário fazê-lo, para realizar um em local escuro, por exemplo, prefira manter o motor ligado, para que o alternador mantenha a bateria carregada

9 - Mantenha o sistema de ignição e motor em boas condições

Velas gastas e motor desregulado podem dificultar a partida do motor, exigindo mais energia da bateria e causando seu desgaste prematuro. Também verifique regularmente as condições da fiação, para prevenir fuga de corrente e curto-circuito, bem como mantenha velas e cabos de vela em boas condições

10 - Evite a descarga completa

Se possível, nunca deixe a bateria ficar totalmente descarregada, pois isso "força" o componente e pode comprometer sua capacidade de reter eletricidade. Se isso acontecer, e você estiver disposto a pagar, invista em um auxiliar de partida, que provê uma carga extra para dar a partida no motor - ou mantenha um cabo extra de boa qualidade para fazer a "chupeta", que é conectar a bateria descarregada à de outro veículo, ligado e em boas condições, para conseguir ligar o motor do seu automóvel.

VIA: WM1 

Compartilhe:

Fotos:

COMO PROLONGAR A VIDA ÚTIL DA BATERIA DO VEÍCULO