Tem gente que gosta de mecânica e investe em equipamentos e ferramentas para fazer manutenções no automóvel durante as horas vagas, convertendo a garagem em uma pequena oficina particular. Os mais dedicados encaram até tarefas como troca de pastilhas de freio e de óleo. No entanto, você pode fazer várias coisas para cuidar do seu carro sem precisar de ferramentas nem de conhecimentos técnicos.

Cerca de uma hora durante o fim de semana é o suficiente para checar fluidos e outros sistemas do carro, além de substituir componentes desgastados, como a palheta do para-brisa, e danificados, como lâmpadas queimadas. São procedimentos simples, que ajudam a economizar dinheiro e a identificar a eventual necessidade de reparos.

Isso sem contar que pneus calibrados, filtros desobstruídos e óleo em dia ajudam o veículo a rodar mais solto e com menor consumo de combustível. Verificar itens de segurança, como freios e desgaste dos pneus, é outra prática saudável para você e o seu automóvel.

O WM1 conversou com Francisco Satkunas, conselheiro da SAE Brasil, para indicar cinco práticas que você mesmo pode adotar, regularmente, para cuidar bem do carro.

1 - Confira os fluidos

Óleo - Cheque semanalmente o nível do óleo do motor em um lugar plano e com o motor frio. Se for preciso completar o nível, utilize óleo novo com as mesmas especificações de base (mineral, semissintético e sintético) e viscosidade, informadas no manual do veículo.

Líquido de arrefecimento - Também a cada semana, confira se o fluido está com nível entre as marcações máxima e mínima no reservatório de expansão, sempre com o motor frio. Se precisar completar, evite colocar água da torneira, cujo cloro e sais mineirais podem causar corrosão e acúmulo de resíduos no sistema de arrefecimento. Coloque água destilada ou produtos "dois em um", disponíveis em lojas especializadas, que combinam água e aditivo nas especificações corretas. Cheque se há vazamentos nas tubulações - uma dica é olhar embaixo do carro.

Fluido de freio - Confira se o nível está correto no reservatório específico. Se precisar completar, use produto na especificação recomendada pelo fabricante do veículo. "Utilize produto novo, em frasco fechado, para evitar eventual contaminação do produto por umidade, que pode criar bolhas na tubulação com as altas temperaturas, prejudicando a frenagem", alerta Satkunas. Confira se há vazamentos.

Líquido do limpador de para-brisa - Confira o nível do líquido no reservatório correspondente e complete-o se necessário. Se possível, adicione aditivo específico, um tipo de detergente que melhora a limpeza sem formar quase espuma. Evite detergentes comuns, daqueles de cozinha, pois podem danificar borrachas e palhetas.

2 - Inspecione os limpadores de para-brisa

Verifique o estado das borrachas das palhetas, que podem estar endurecidas e/ou ressecadas - um sinal do problema é quando aparecem aqueles "rastros" de água no para-brisa, mesmo com os limpadores acionados. Se as borrachas estiverem em mau estado, a maioria das palhetas permite trocar apenas a parte onde estão fixadas, o chamado "refil", que pode ser facilmente substituído sem a necessidade de ferramentas. Caso as borrachas estejam em boas condições, prolongue sua vida útil com uma boa limpeza para remover gordura e outros materiais que podem prejudicar sua eficiência. Utilize um pano ou esponja com água e não se esqueça de verificar a palheta do vidro traseiro, quando disponível.

3 - Cheque a calibragem dos pneus

De acordo com a Continental, a cada 2 psi (duas libras) abaixo da pressão recomendada o consumo de combustível aumenta 2% por pneu. Por isso, verificar a cablibragem correta a cada semana é um cuidado simples que, além fazer o carro beber menos, prolonga a vida útil dos pneus e de componentes da suspensão. Verifique a pressão sempre com os pneus frios, com um medidor e siga qquantidade de libras indicada no manual para veículo vazio ou carregado - a especificação geralmente é informada também na tampa do tanque de combustível ou na coluna da porta dianteira do motorista. "Não se esqueça de verificar também o estepe, que pode rebeber pressão um pouco maior, porque ela diminui naturalmente com o passar do tempo", recomenda o especialista Francisco Satkunas. Se houver um compressor de ar à disposição, você mesmo pode fazer a calibragem em casa, utilizando o bico adequado, que geralmente vem incluso.

4 - Veja as condições das borrachas das portas

Borrachas endurecidas e/ou ressecadas prejudicam a vedação adequada das portas contra a entrada de líquido, poeira e ruído. Portanto, vale a pena dar uma conferida nelas. Uma dica para mantê-las como novas, de acordo com Satkunas, é aplicar silicone em spray, disponível em lojas de produtos automotivos. "O silicone ajuda a preservar a borracha. Além disso, confira se os vidros estão bem encaixados e se movimentando normalmente nas canaletas de borracha. Elas também podem receber o silicone", ensina o especialista.

5 - Higiene nunca é demais

Ar-condicionado - Para manter o ar-condicionado sem mau cheiro, causado pela proliferação de germes por conta da umidade, existem sprays específicos de higienização que são aplicados nas saídas de ar, com o aparelho ligado. Siga as instruções no manual do produto. Alguns veículos, quando equipados, também permitem trocar facilmente o filtro de pólen, o filtro do ar-condicionado. Em outros, o processo é bem mais complicado e pede a intervenção de um profissional.

Filtro de ar - Também vale a pena dar uma conferida nas condições do filtro de ar do sistema de admissão do motor, que eventualmente pode estar saturado por sujeira acumulada com o passar do tempo - isso pode prejudicar o desempenho do veículo e aumentar o consumo de combustível. O ideal é trocar o filtro, mas dá para retirá-lo e dar uma limpeza dando pequenas batidas na peça e também utilizando jatos de ar. Geralmente, o filtro fica dentro de uma caixa plástica cuja cobertura é removida com facilidade, soltando algumas presilhas.

Bancos - Passar aspirador de pó na cabine uma vez por semana ajuda a manter o carro limpo e geralmente é o suficiente para deixar os bancos em condições - há produtos especiais para aplicar em revestimentos de tecido e bancos de couro pedem a aplicação, a cada seis meses aproximadamente ou antes disso, de um hidratante. Há produtos específicos no mercado, que ajudam a prevenir ou suavizar rachaduras e outras imperfeições.

VIA: WM1 

Compartilhe:

Fotos:

5 COISAS QUE VOCÊ MESMO PODE FAZER PELO SEU CARRO